sábado, 22 de agosto de 2015

Bolo de ananás

O bolo que trago hoje tem um sabor intenso à minha infância e ao bolinho de ananás que a minha avó fazia. Ainda que seja carregadinho de calorias, ainda que existam milhentas receitas destas espalhadas pela net, não quis deixar de partilhar convosco a minha versão. Sim, porque fazer um bolo é como contar um conto: cada um acrescenta um ponto ou faz da sua maneira… Esta não é a receita da minha avó, mas não é muito diferente com toda a certeza. Pelo menos insisti no ingrediente principal - o amor com que o fiz. E o resultado, felizmente, acabou por ser muito próximo. Um bolo bem húmido e guloso.

Numa próxima vez talvez faça um pouco mais de caramelo… Adoro a forma como se impregna pelo bolo… Hummm ainda sinto o cheirinho que deixou pela casa…

Também é um bolo da vossa infância?

____________________________

Bolo de ananás caramelizado


Ingredientes:


Para o caramelo:

- 150 gr de açúcar


Para o bolo:

- 200 gr de açúcar

- 120 gr de manteiga à temperatura ambiente

- 100 ml de água do ananás

- 4 ovos L

- 250 gr de farinha Branca de Neve

- 1 colher de chá de fermento em pó

- ananás de conserva às rodelas


Preparação:

Forre uma forma redonda com papel vegetal.

Coloque o açúcar para o caramelo numa frigideira antiaderente. Deixe derreter até começar a ficar castanho. Verta sobre o papel vegetal e espalhe por cima rodelas de ananás. Corte pedaços mais pequenos das que sobrarem e tape os espaços em branco.

Pré-aqueça o forno a 180º.

Bata bem o açúcar com a manteiga.. Junte a água da conserva de ananás e misture um pouco. Junte os ovos e bata bem. Junte a farinha misturada com o fermento e bata até obter uma massa fofa e homogénea.

Espalhe a massa do bolo por cima do ananás e leve ao forno por 1 hora.

Desenforme.

_____________________

 

 

 

 

 

 

 

terça-feira, 18 de agosto de 2015

Marmita simplificada

Por aqui a palavra de ordem continua a ser descomplicar. E quando penso no que vou levar no dia seguinte na marmita, a minha escolha recai quase sempre naqueles pratos que normalmente a pequena não come e que eu e o Mário apreciamos – saladinhas diferentes, pratos ligeiros, mas que sabem bem para quebrar a rotina do dia-a-dia. No meu caso, que pouco sou apreciadora de carne e peixe, sabem-me ainda melhor porque raramente levam proteínas.

Desta vez aproveitei um pouco de abóbora biológica que comprei no mercado do Campo Pequeno e uns espinafres franceses que comprei ao produtor num fim-de-semana passado em Milfontes. A verdade é que me soube pela vida.

E continuo a achar que tomei a melhor decisão de sempre ao converter-me à marmita há uns anos atrás. Por mais tempo que acabe por despender na preparação destas refeições, a verdade é que a minha saúde agradece e sem dúvida a minha vontade de almoçar é sempre diferente. Acabou-se o comer em pé. O comer mal. O gastar dinheiro estupidamente em comida sem qualidade.

Agora só falta convencer a pequena a comer… Do alto dos seus 5 anos e meio detesta tudo o que seja diferente. Estou convencida que com o tempo os hábitos mudem e se deixe convencer por este tipo de alimentação mais equilibrada, sem extremismos, mas que sabe muito bem de quando em vez.

Espero que gostem! É um instante em quanto se prepara.

_______________________

Salada de Quinoa com abóbora e espinafres

[serve 2 pessoas]


Ingredientes:

- 100 gr de quinoa real (pode usar branca ou mistura)

- 100 gr de abóbora

- 1 mão cheia de espinafres

- queijo curado qb

- pinhões qb

- orégãos frescos e hortelã qb

- azeitonas qb

- 0,5 dl de azeite

- 2 colheres de sopa de vinagre de vinho

- sal, pimenta e cominhos em pó qb


Preparação:

Coza a quinoa conforme instruções da embalagem. Escorra e deixe arrefecer.

Pré-aqueça o forno a 200º. Corte a abóbora em cubos grandinhos e disponha num tabuleiro de forno polvilhada com um pouco de sal e cominhos em pó. Leve ao forno até estar cozinhada, mas al dente. Junte à quinoa.

Lave bem os espinafres e seque. Escolha as folhas mais tenras e junte-as à quinoa escorrida.

Corte uns cubos de queijo curado (pode usar, vaca, ovelha, cabra ou mistura) a gosto e junte à salada.

Adicione azeitonas a gosto, um pouco de pinhões, folhas de orégãos frescas e hortelã pimenta a gosto.

Faça a vinagrete misturando o azeite, o vinagre, um pouco de sal e pimenta acabada de moer. No momento de servir misture bem na salada. Bom apetite!

____________________

 

 

 

 

 

segunda-feira, 10 de agosto de 2015

Espelta

Tenho tentado optar por comer pães mais escuros… Ainda ando a tentar digerir o facto de as ultimas análises terem acusado colesterol…

O padeiro lá de casa ainda resistiu mas lá aceitou experimentar fazer um pão diferente. E acabou convertido. É na verdade um pão bastante aromático e simples de fazer. E delicioso para comer a qualquer hora do dia.

Eu, pelo menos, sinto-me mais saudável só de olhar para ele.

Não se esqueçam, no entanto, que o que faz mal não é o pão, mas aquilo que lhe pomos em cima…

__________________________

Pão de espelta e aveia


Ingredientes:

- 350 gr de farinha de espelta

- 50 gr de sementes de linhaça

- 100 + 80 gr de flocos de aveia

- 430 gr de água morna

- 1 colher de chá de sal

- 20 gr de mel

- 20 gr de fermento fresco


Preparação:

Coloque a linhaça e 100 gr de flocos de aveia no copo da Bimby e processe 1 minuto, velocidade 8 (pode usar um outro robot de cozinha para este efeito). À parte misture as farinhas e os restantes flocos de aveia. Num outro recipiente dissolva o sal, o mel e o fermento na água.

Adicione a água às farinhas e envolva tudo bem até que a farinha absorva toda a água. Amasse cerca de 10 minutos.

A massa vai ficar húmida. Deixe repousar num recipiente tapado cerca de 2 horas.

Pré-aqueça o forno a 200º.

Numa forma retangular de pão (tipo bolo inglês) forre com papel vegetal.

Na bancada da cozinha espalhe um pouco de farinha e verta a massa do pão, que estará ainda pegajosa. Envolva um pouco de farinha e coloque a massa dentro da forma. Deixe levedar mais 30 minutos.

Leve ao forno por 45 a 50 minutos ou até que o pão esteja cozido.


Nota: esta receita foi adaptada de uma receita do blog Chili com todos, da qual sou fã assumida.

_____________________

 

 

domingo, 2 de agosto de 2015

Amoras silvestres

As férias são sempre momentos de descontração. Para dias agitados e cheios de horários e responsabilidades basta o dia-a-dia...

São dias passados a três, na nossa casinha de Milfontes, onde vamos alternando as idas à praia, com uns passeios na zona onde "recoletamos" aquilo que a natureza oferece. Num desses dias, para além das pinhas que apanhamos já a pensar no inverno rigoroso, apanhamos também mais de 2 kg de amoras silvestres! Este ano o verão tem sido quente e nesta altura já se encontram amoras grandinhas e doces.

Entre algumas que congelei para fazer uns sumos deliciosos, outras que usei em doce e outras que fui comendo, reservei umas poucas para fazer um gelado delicioso.

Mesmo aqui tendo uma das melhores gelatarias do país - a Mabi - o gelado de amora de compra não é a mesma coisa... Não sabe a amoras, nem tem a cor da amora...

Porque tudo o que é bom tem de ser mantido simples, misturei às amoras apenas mais 3 ingredientes num gelado surpreendentemente cremoso, delicioso, intenso, guloso e lindo de morrer... Para comer em cone, ou à colher, eu cá prefiro comê-lo numa taça em forma de coração, uma ode ao amor, uma sobremesa a comer a dois...

____________________________

Gelado de amoras silvestres


Ingredientes:

- 500 gr de amoras silvestres

- 200 gr de açúcar

- 2 iogurtes naturais

- 1 pacote de natas (com pelo menos 35% de gordura)


Preparação:

Aplique a borboleta no copo da Bimby e coloque as natas (com pelo menos 1 hora no frio). Bata na velocidade 3 e 1/2 cerca de 1 minuto e meio (vá controlando para não virarem manteiga). Reserve.

Coloque as amoras bem lavadas no copo da Bimby com o açúcar e processe 20 segundos, velocidade 7. Baixe os resíduos das paredes do copo e juntes os iogurtes. Misture 20 segundos, velocidade 3.

Junte as natas com movimentos de baixo para cima e deite num recipiente para levar ao congelador. De hora a hora, mais um menos, vá passando um garfo pelo gelado para ir quebrando os cristais de gelo que se vai formando, garantindo a cremosidade do gelado.

Se tiver uma máquina de fazer gelados, pode proceder de acordo com as indicações do fabricante.


Alternativa de preparação:

Bata as natas até obter um chantilly firme e reserve.

Desfaça as amoras em conjunto com o açúcar até obter uma polpa. Junte os iogurtes e misture bem até ligar.

Junte as natas com movimentos de baixo para cima e deite num recipiente para levar ao congelador. De hora a hora, mais um menos, vá passando um garfo pelo gelado para ir quebrando os cristais de gelo que se vai formando, garantindo a cremosidade do gelado.

Se tiver uma máquina de fazer gelados, pode proceder de acordo com as indicações do fabricante.

_____________________________

 

quarta-feira, 22 de julho de 2015

Bolo de banana e framboesa

A saga dos bolos "saudáveis" continua cá por casa. Pelo menos vou tentando usar menos gorduras e menos açúcares refinados… O colesterol continua a ser uma preocupação minha. Diria que daqui em diante, para sempre.

E quando se têm duas bananas demasiado maduras o ingredientes principal do bolo da semana acaba por estar escolhido.

Das milhentas receitas que vi, nenhuma em especial me seduziu… E por isso a receita que trago hoje acaba por ser uma casamento feliz entre ingredientes de um bolo da Mafalda Pinto Leite e de um bolo do Henrique Sá Pessoa, misturados e concretizados pela cabeça da autora deste blog – EU.

A verdade é que a fruta que lhe juntei acabou com fazer deste um bolo bastante húmido, sem necessidades exageradas de gordura.Para quem, com eu, não é verdadeiro apreciador de banana, posso afiançar que este não é um bolo demasiado intenso.

Vai uma fatia acompanhada de uma chávena de chá?

_______________________________

Bolo de banana e framboesas


Ingredientes:

- 100 gr de farinha de espelta

- 50 gr de farinha para bolos

- 50 gr de açúcar de coco (pode usar açúcar refinado ou amarelo)

- 1 colher de chá de fermento

- 1 colher de chá de canela

- sementes de 4 cardamomos

- 2 colheres de sopa de óleo de coco (pode usar óleo comum ou azeite)

- 50 gr de leite

- 2 ovos

- 80 gr de cenoura ralada

- 120 gr de maçã ralada

- 300 gr de banana esmagada

- 80 gr de framboesas


Preparação:

Pré-aqueça o forno a 180º.

Misture numa tigela os ingredientes sólidos: farinhas, açúcar, fermento, canela e sementes.

Misture noutra tigela os ingredientes líquidos: óleo, leite e ovos. Assim que estejam bem misturados, junte a cenoura, a maçã e a banana. Envolva bem.

Junte os ingredientes secos e misture.

Unte uma forma de bolo inglês e forre com papel vegetal.

Coloque metade do preparado. Espalhe metade das framboesas por cima. Coloque o resto da massa do bolo e leve ao forno por 50 minutos ou até que o bolo esteja cozido.

____________________________

 

 

 

 

sexta-feira, 17 de julho de 2015

A pizza preferida

Como tive oportunidade de dizer AQUI, para tentar ultrapassar a questão de ter cada vez menos tempo de comentar os blogs que sigo periodicamente, mas ao mesmo tempo dar o devido mérito a cada um deles, resolvi começar a fazer as receitas que há muito recolho e ficam para mais tarde experimentar. São aquelas receitas que me deixam a salivar, por uma razão ou por outra. E esta foi a forma que encontrei de partilhar estas delícias convosco e ao mesmo tempo destacar/elogiar o trabalho de quem as criou e publicou.

A receita que trago hoje vem de um blog ao qual me rendi totalmente - mesa corrida!. Sabem quando encontramos alguém que faz o tipo de comida de que gostamos? Foi essa a sensação que tive quando visitei este blog pela primeira vez. Se a autora deste blog tivesse um restaurante, acho que diariamente estaria sentada à sua mesa para almoçar. Um verdadeiro rombo no orçamento!

Pois bem, de todas as receitas que imprimi para mais tarde experimentar, esta que vos trago hoje foi aquela que tive de fazer no próprio dia. Porque só de olhar para ela sabia que ia ser boa. Porque só de olhar para ela, sabia exatamente a que sabia. E as expetativas não foram goradas. E só posso aplaudir de pé a autora (da mesma forma que fui aplaudida quando o meu marido a provou) porque de repente se tornou a pizza preferida da gente cá de casa. Já repetida 3 vezes até conseguirmos tirar estas humildes fotografias. OBRIGADO!

Claro está que cozinhar é como contar uma história (quem conta um conto acrescenta um ponto). Eu adaptei um pouco a receita, mas a sua essência está totalmente lá.

________________________

Pizza de queijo azul e pêra

[serve 4 pessoas]


Ingredientes:


Para a massa (receita do Paul Hollywood):

- 250 gr de farinha 00 ou T65

- ½ saqueta de fermento seco (fermipan)

- 5 gr de sal

- 2 colheres de sopa de azeite

- 150 ml de água


Para a cobertura:

- queijo mozarela qb

- 1 pêra grande

- nozes qb

- tiras pequenas de bacon qb

- mel qb

- queijo azul qb (usei roquefort)


Preparação:

Amasse bem os ingredientes da massa de pizza até obter uma massa elástica. Coloque num recipiente untado com azeite e deixe descansar pelo menos 1 hora até dobrar de volume.

Findo o tempo, pré-aqueça o forno a 250º.

Divida a massa em 4 bolas e tenda 4 discos de pizza numa superfície enfarinhada. Coloque em tabuleiros forrados com papel vegetal. Reserve.

Numa frigideira antiaderente alouro as tiras de bacon ligeiramente e reserve.

Cubra as bases de pizza com um pouco de queijo mozarela ralada. Distribua pedacinhos de bacon a gosto. Espalhe miolo de noz grosseiramente partido e pedaços de queijo azul. Fatie a pêra fininha (usei com casca) e espalhe por cima. Finalize com um pouco de mozarela e um fio de mel por cima.

Leve ao forno cada uma das pizzas até estarem douradas. No meu caso demorou cerca de 7 minutos porque deixei as bases bem fininhas e não as queria muito queimadas.


Nota: Este é do tipo de massas de pizza de ficam com buraquinhos crocantes na massa. Mas só despontam em temperaturas de forno de 250º ou mais.

_________________________

terça-feira, 14 de julho de 2015

Meloa, hummmm

Quando planeamos férias, especialmente quando planeamos passá-las em casa própria, sem grandes programas feitos (porque de rotinas fixas bem basta quando estamos a trabalhar) achamos que os dias dão para tudo. Programei fazer gelados, aquelas receitas que nunca tenho tempo para fazer (como os gnochis), escrever receitas, visitar os blogs e sites que me inspiram, pôr a leitura em dia, enfim…. Acho que sou uma sonhadora e esqueço-me que tenho uma criatura com 4 anos cheia de vida e sedenta por estar com os pais… Não fiz metade do que queria, mas pelo menos o sono ficou em dia e consegui ler um livro inteirinho! Yes!

Bom, num dos passeios que fizemos durante as férias compramos meloas a uma senhora que as vendia de porta em porta como é ainda habitual nos locais mais ermos do nosso Alentejo. Entre os largos quilos que compramos, vieram umas meloas siamesas. É claro que as coitadas foram alvo de inúmeras fotografias e graçolas do Mário pela sua semelhança a um belo par de mamocas.

Graçolas à parte a verdade é que as meloas eram mesmo divinais e perfumadas e não gostando enquanto fruto, adoro em doce, em gelados, em mousse, em batidos, enfim… Adoro! E por isso uma parte acabou por resultar neste fantástico e exótico gelado de meloa. Ficou muito além do esperado e as expetativas eram já bastante elevadas. Espero que experimentem, mesmo aqueles que não simpatizam com o fruto como eu, porque sem duvida que este gelado é uma tentação… Nham!

_______________________

Gelado de Meloa


Ingredientes:

- 400 gr de polpa de meloa

- 550 gr de açúcar

- 280 gr de leite de coco

- 1 pacote de natas para bater


Preparação:

Coloque a polpa de meloa cortada em pedaços no copo da Bimby. Adicione o açúcar e programe 6 minutos, 90º, velocidade 2.

Findo o tempo processe 20 segundos, velocidade 6 e reserve até arrefecer por completo.

Bata um pacote de natas até ficarem firmes.

Junte o leite de coco à polpa arrefecida e adicione as natas bem lentamente até obter um creme bem ligado.

Coloque num recipiente e leve ao congelador por 1 a 2 horas. Findo o tempo, coloque na máquina de fazer gelados e proceda de acordo com as instruções do fabricante.

Só voltei a levar ao congelador quando o gelado estava pronto. O objetivo de utilizar a máquina de gelados é quebrar os cristais de gelo que se formam durante a congelação o que torna o gelado simultaneamente mais cremoso. Caso não tenha este aparelho não precisa de o comprar, pode ir mexendo o gelado com um garfo de 15 em 15 minutos até que esteja sólido.


Alternativa de preparação:

Coloque a polpa de meloa cortada em pedaços e o açúcar num tacho e deixe cozinhar em lume brando por 6 minutos.

Findo o tempo desfaça com a varinha mágica ou robot de cozinha e reserve até arrefecer por completo.

Bata um pacote de natas até ficarem firmes.

Junte o leite de coco à polpa arrefecida e adicione as natas bem lentamente até obter um creme bem ligado.

Coloque num recipiente e leve ao congelador por 1 a 2 horas. Findo o tempo, coloque na máquina de fazer gelados e proceda de acordo com as instruções do fabricante.

Só voltei a levar ao congelador quando o gelado estava pronto. O objetivo de utilizar a máquina de gelados é quebrar os cristais de gelo que se formam durante a congelação o que torna o gelado simultaneamente mais cremoso. Caso não tenha este aparelho não precisa de o comprar, pode ir mexendo o gelado com um garfo de 15 em 15 minutos até que esteja sólido.

______________________